Amazon Go – O Supermercado sem fila no caixa!

A Amazon(r) sempre foi uma empresa preocupada com a experiência do seu cliente e por isso não para de surpreendê-los (me inclua nesta lista, por favor).

Enquanto no Brasil ainda tentamos fazer funcionar as etiquetas de RFID, NFC, ou ainda criar a cultura no consumidor de utilizar o self-checkout, na Europa, por exemplo, varejistas já conseguem lançar mão amplamente dos diferentes meios de e-commerce e delivery.

Mesmo o delivery, por menor que seja, ainda exige em algum ponto do processo, interação entre clientes e funcionários, além disso, nos modelos de compras convencionais (incluindo e-commerce e delivery) o cliente precisa lançar mão de alguma forma imediata de pagamento, seja por cartão de crédito, débito, cheque, dinheiro ou qualquer outro documento como tickets e etc. A intenção do Amazon é permitir que o cliente faça a sua compra sem a necessidade de interagir com funcionários ou realizar o pagamento imediato.

Através de sensores utilizados em carros autônomos,  visão computacional, demais sensores e sobretudo deep learning, os sistemas do Amazon são capazes de identificar o cliente e quais produtos ele está comprando. Suas compras são automaticamente creditadas em sua conta Amazon e o pagamento é feito posteriormente através da sua fatura, bem como todos os demais serviço da empresa. Interessante que se o cliente pegar um produto para consultar suas características e devolvê-lo à gôndola, o sistema reconhece e não gera custos ao cliente de forma incorreta.

A Amazon abrirá a sua primeira loja do projeto em Seattle, nos Estados Unidos e para usufruir dos seus serviços basta que o cliente tenha uma conta no Amazon, um smartphone suportado e a instalação do aplicativo do projeto que é gratuito.
Veja o vídeo oficial do Amazon Go:

Conheça mais sobre o projeto no site oficial clicando aqui

Apesar de sensacional, a ideia não é inédita, Na Suécia alguém já havia desenvolvido algo parecido. Se você se interessou consulte a matéria no Tecmundo.

Por fim, acredito que este é um caminho sem volta. Como já falamos neste blog, cada vez mais as máquinas e dispositivos computacionais irão tomar para si tarefas repetitivas e não especialistas, tornando a vida humana mais interessante (no mínimo).

Deixe seu comentário