O que esperar de 2017 para a tecnologia – 3 de 4

Carros autônomos

O conceito de carros autônomos que me refiro não é simplesmente imaginar carros se locomovendo sem a necessidade de motorista, algo que não descarto, mas não é somente esta a questão no momento. Quando me refiro a carros autônomos quero fazer referência a uma serie de itens de segurança e conforto que estes estudos estão permitindo para os veículos automotores.

Os veículos estarão mais inteligentes, o que garante maior segurança uma vez que os veículos vão ajudar os motoristas a tomarem as melhores decisões em um momento crítico, ou ainda porque estes veículos tem condições de dar informação precisas sobre sua condição ou mesmo da condição de seus combustíveis e fluídos.

E por fim, sem dúvida, os serviços prestados por veículos autônomos mesmo – daqueles sem motoristas – como o Uber, Google e demais empresas vem buscando prestar.

Mobilidade

Estamos conectados, nossas empresas mandaram seus servidores para as nuvens, então, qual o sentido de ter horário e local determinado para trabalhar?

Temos dispositivos com potencial para nos permitir sermos extremamente produtivos a qualquer lugar e a qualquer hora do dia. Infelizmente, neste quesito, o impedimento maior ainda é no âmbito legal. Nem todo mundo consegue flexibilidade por conta de exigências das leis trabalhistas.

Podemos fazer reuniões em diferentes partes do globo sem precisar sair de casa; podemos alugar escritórios para reuniões em prédios comerciais por algumas horas; podemos dar um “de acordo” em um orçamento alguns minutos antes de decolar de um avião. Tomamos decisões e aplicamos nosso talento profissional de qualquer lugar através da nossa conexão com a internet em nossos super gadgets. Logo, não há motivos para perder horas no trânsito todos os dias somente para estar de corpo presente em um ambiente que pode ser muito menos produtivo do que a nossa própria casa.

Conexão móvel e banda larga

Por fim, com o crescente aumento dos investimentos das PMEs em nuvens híbridas, com a demanda por conexão móvel de qualidade, serviços contratados via internet, Internet das Coisas e etc. Nosso link com a internet é sem dúvida o ponto vital para que tudo neste mudo funcione e não entre em colapso.

Na Europa já é comum hotspots com 20, 30, 50MB para uso comum do público. Chips descartáveis lhe garantem vantagens para ligações no país e uma internet de fazer a sua de casa parecer conexão discada. Na Ásia estes valores são ainda maiores. No Brasil, os investimentos ainda são necessários, além da desburocratização e a abertura do mercado para concorrência legítima, diferente deste acordo de cavalheiros que presenciamos.

Com o aumento dos serviços oferecidos via internet, os provedores terão de fazer a sua parte, caso contrário, o futuro dessas tecnologias no país estará comprometida severamente.

Para o último post da série, ficaram faltando os seguintes tópicos:

  • Segurança e criptografia
  • Realidade virtual
  • Realidade Aumentada

Nos vemos em breve.

 

Deixe seu comentário