O que esperar de 2017 para a tecnologia – 4 de 4

Dando sequência a esta série de postagens acerca do que eu imagino que será evidência para a tecnologia em 2017, falaremos dos últimos três pontos desta minha seleta lista.

Segurança e criptografia

A criptografia é um dos principais mecanismos de segurança empregados para se garantir confidencialidade, privacidade e integridade dos dados e de sistemas computacionais de maneira geral. De forma bastante simples, a criptografia se baseia em embaralhar os dados e metadados das informações de maneira que a menos que você saiba como o processo foi feito, não terá condições de compreender a mensagem. Até então somente através da força bruta, tentando todas as variações possíveis, é que era possível “quebrar” uma mensagem cifrada. Acontece que isso poderia levar até centenas de anos, ou seja, impraticável.

Na atual conjuntura estamos expondo cada vez mais nossos dados a meios públicos de comunicação e na outra extremidade o potencial computacional tem aumentado significativamente, transformando aquelas “centenas de anos” em “algumas horas”, isso claro, se nenhuma medida for tomada para continuar garantindo a eficácia deste método.

Este é um assunto bastante complexo que será abordado neste blog em um futuro próximo, mas a minha aposta na criptografia vai justamente por conta de toda a comunicação que será realizada pela internet, seja por seres humanos, ou pela internet das coisas. Para que não haja riscos será fundamental implementar soluções de criptografia e demais validações de integridade, autenticidade, confidencialidade, e não repúdio, caso contrário tudo o que vimos nesta série de publicações como nuvem, IoT, etc. poderá ser colocado a perder.
Realidade virtual e Realidade Aumentada

De maneira geral, apesar de não serem exatamente sinônimas, aposto com confiança que realidade virtual e realidade aumentada trarão para todos os segmentos de nossas vidas uma nova perspectiva até então inimaginável.

Estas duas variações da realidade transporta o ser humano para uma experiência até então restrita a poucos. Supermercados e redes varejistas de maneira geral terão condições de oferecer aos seus clientes uma nova forma de compra, mais inteligente e prática, sem dizer segura, uma vez que este cliente sequer precisará sair de sua casa para interagir com os serviços e produtos da empresa. Treinamentos, turismo, saúde, tudo será transportado para um ambiente controlado, monitorado e individualizado, de forma que a pessoa ao interagir com uma realidade virtual, consumirá informações mas também gerará informações em tempo real e estas informações por sua vez poderão criar diagnósticos de saúde, testas infraestruturas, personalizar experiência de usuário e etc.

Imagino ainda oportunidades para a industria que poderá experimentar seus protótipos sem a necessidade de reconfigurar linhas de produção ou consumir matéria-prima. A natureza neste ponto também agradece.

Imobiliárias, construtoras, segurança pública, e uma infinidade de segmentos serão beneficiados com a Realidade Aumentada e a Realidade Virtual, contanto, é necessário que sejam entendidas as características fundamentais destas duas realidades e realizados os investimentos corretos, dentro dos padrões, de forma a viabilizar e de fato constituir o que daqui em diante será inevitável.

Finalizando, esta série de postagem será revisitada ao longo dos anos, onde será possível discutir e discorrer melhor sobre cada tema. Por ora, minha intenção foi somente de colocar meu ponto de vista chamando a atenção para assuntos que talvez você já tenha tido acesso, talvez não. Talvez você concorde comigo, talvez não. O grande barato da tecnologia do ponto da inovação é isso. Tudo é possível!

Deixe seu comentário