Desculpem-me mas eu não consigo ver “coisa boa” na pandemia do COVID-19.

Não consigo ver oportunidade na iminência de ficar desempregado, passar fome, ficar doente, morrer ou perder um ente querido.

Não romantizo e não concordo com a romantização banal de um evento sem precedente só pra exercitar algum buzzword ou aparecer como sábio profeta de um futuro de revistinha de pós apocalipse. Me perdoem, eu queria ser assim mas não consigo.

Se tem empreendimentos se destacando, se tem empresas se reinventando, se tem profissional se refazendo, se tem pessoa, Física ou Jurídica, encontrando tração é mérito delas, não da pandemia. Se algumas organizações entenderam o momento de rever suas prioridades, se a gente tá reaprendendo a fazer o que já fazíamos há anos, é mérito nosso. Não tem nada de bom em uma doença que faz vítimas diariamente.

Me perdoem, eu não consigo ver beleza no COVID-19. Comemoro TODAS iniciativas positivas que eu tenho acesso ou vejo notícias, mas não me peçam pra me apaixonar pelo “momento que estamos vivendo”.


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *